as poucas alegrias que tive no mundo
Plantas

as poucas alegrias que tive no mundo


Devo à paisagem as poucas alegrias que tive no mundo. Os homens só me deram tristezas. Ou eu nunca os entendi, ou eles nunca me entenderam. Até os mais próximos, os mais amigos, me cravaram na hora própria um espinho envenenado no coração. A terra, com os seus vestidos e as suas pregas, essa foi sempre generosa. (...)

Miguel Torga, in "Diário (1942)"



loading...


- Dia Do Abraço - Experimente...
Dizem os orientais que, quando abraçarmos uma pessoa querida a quem amamos, devemos fazer da seguinte forma: inspirando e expirando três vezes, e aí sua felicidade se multiplicará pelo menos dez vezes. O efeito terapêutico do abraço é inegável....

- Chove
Chove uma grossa chuva inesperada Que a tarde não pediu mas agradece. Chove na rua, já de si molhada Duma vida que é chuva e não parece. Miguel Torga, Diário II (1943)...

- A Força Deste Abraço
(...) Nada sei, Nada valho, Nada faço, E abre-se em mim a força deste abraço Que abarca o mundo! Miguel Torga...

- E Cada Hora A Mais Que Gasta No Caminho
(...) E cada hora a mais que gasta no caminho É um sorvo a mais de cheiro A terra e a rosmaninho! Miguel Torga ...

- Chamar A Si Todo O Céu Com Um Sorriso
que o meu coração esteja sempre aberto às pequenas aves que são os segredos da vida o que quer que cantem é melhor do que conhecer e se os homens não as ouvem estão velhos que o meu pensamento caminhe pelo faminto e destemido e sedento e servil...



Plantas








.