Salvem as árvores da minha cidade - Parte III
Plantas

Salvem as árvores da minha cidade - Parte III


O Bairro do Rodrigo já teve, e custa muito conjugar o verbo no passado, um conjunto de tílias notáveis...um dia chegou-lhes a hora, que é como quem diz, chegou-lhes a poda...Até as duas que davam sombra à Escola Primária do Rodrigo, onde estudei e onde ainda voto (bem como o nosso actual Primeiro-ministro), sucumbiram...debaixo dos seus ramos despidos brincávamos, no Inverno, imitando os nossos heróis da "Galactica" e atirávamos bolas de neve, numa altura em que os nevões ainda faziam parte da paisagem covilhanense...de Verão, trepava-se às tílias para colher a flor que se vendia nas farmácias (sim, eu ainda sou do tempo, em que a tília não se comprava, já embalada, nas prateleiras de supermercados).
















A pouco e pouco, foi-lhes chegando a moto-serra, e hoje sobra apenas uma...uma só, a resistente...Arrisco dizer que pertence à espécie Tilia tomentosa Moench, e é um exemplar saudável, com uma copa ampla, uma árvore perfeitamente harmoniosa, à qual ainda ninguém se atreveu a amputar a beleza e a dignidade.







E é para esta árvore que peço, à Junta de Freguesia da Conceição e à Câmara Municipal da Covilhã, a misericórdia de a pouparem ao tratamento vergonhoso que deram às restantes tílias do bairro!





Até as tílias, ainda novas, plantadas na Rua Ferreira de Castro (perto da Rua Mateus Fernandes), já levaram neste Inverno passado um "tratamento correctivo"...penso que neste, como noutros casos, o que afligiu os funcionários camarários, foi a possível interferência com a iluminação pública!
Aliás, enquanto tirava estas fotografias, houve um habitante do bairro que me interpelou, perguntando-me se eu trabalhava para a EDP. Na opinião deste habitante, a tília (podada) que tem à frente de sua casa já começa a interferir com o poste de iluminação pública e por isso a queria (ainda mais) podada...ele bem me disse que não a queria cortada, apenas um pouco mais amputada! De facto, não lembra a ninguém que as árvores cresçam em altura, isto só traz é aborrecimentos...

Esqueci-me foi de perguntar aos irlandeses, enquanto por lá estive no Verão passado, e onde as árvores cresciam livres, como é que eles faziam para compatibilizar as duas coisas, árvores e iluminação pública! Mas também não se pense que isto da podite é exclusivo luso, pois ainda no ano passado, na cidade de Bejar (Salamanca), pude ver que num jardim bem no centro da cidade, esta "virose" também por ali tinha atacado! Curiosamente, em Sevilha, pareceu-me terem um respeito bem maior pelas árvores...talvez por aí compreenderem bem o quanto vale uma sombra...verde!



loading...


- Árvores E Arvoredo
"Árvores e Arvoredos", um texto de Joaquim Letria publicado no blogue "Sorumbático": "CADA ÁRVORE É UM SÍMBOLO, quer dizer uma coisa. A tília significa tolerância, o carvalho, força, a faia, companhia, a azinheira, resistência, o álamo, flexibilidade,...

- Requiem Por Uma árvore
Era assim no Inverno... Tília (Tilia tomentosa Moench.), Covilhã (passado) E era assim na Primavera... Tília (Tilia tomentosa Moench.), Covilhã (passado) E assim no Verão... Tília (Tilia tomentosa Moench.), Covilhã (passado) Infelizmente,...

- Silly Season V
Escola Básica do 1º Ciclo do Rodrigo - Covilhã Quando escrevi este texto sobre o crime perpetrado contra as tílias desta escola, o José já me tinha alertado para a colocação de uma lona no recreio da mesma. Suponho que a lona tenha como objectivo...

- Convicções
O Bairro do Rodrigo na Covilhã já teve várias tílias de grande porte. Um dia, como se vê pela imagem abaixo, chegou-lhes a poda...que é um mal que embora possa tardar acaba por chegar, mais cedo ou mais tarde, a todas as árvores das cidades portuguesas....

- Reflexões Sobre A Estupidez Humana
Sempre que começa mais um Verão sofro por antecipação, ao pensar que parte ainda imaculada do nosso sacrificado Portugal, irá sucumbir aos incêndios florestais...no começo de cada Outono, a minha angústia é tentar adivinhar quais as árvores...



Plantas








.